quarta-feira, 27 de agosto de 2014

O Zelador




          


Preparando Campeões é um colégio muito tradicional do interior de São Paulo, localizado na zona sul de uma cidade de porte médio, muitos adolescentes e jovens se inscrevem no seu vestibulinho para cursarem o ensino médio, e participarem de diversos eventos esportivos. Do outro lado da rua, em frente ao colégio existe um grande alojamento, onde moram muitos jovens sobre a proteção de seguranças do colégio, são organizados muitos eventos e festas para os alunos que passam o fim de semana no alojamento, mas é muito comum encontrar os alunos em rodas de conversas contando varias estórias que supostamente aconteceram no campus do colégio.

                Thiago era um dos alunos mais animados do campus, de porte atlético devido a pratica de natação no campus, moreno de um metro e setenta e cinco de altura, cabelos curtos, olhos castanhos, era um menino de dezessete anos e desejado por muitas meninas do colégio, sempre por perto de Thiago estava Aline, uma menina de dezesseis anos, pele clara, olhos castanhos claros e cabelo na altura dos ombros e Thiago adorava fazê-la sorrir com suas estórias, ele era apaixonado por ela, mas ela fingia não saber.

                Em uma manha de terça-feira no horário do intervalo das aulas, dos alto-falantes ecoaram a voz de dona Vilma, a diretora, anunciando que o colégio acabava de contratar um novo zelador, o senhor Carlos. Poucos deram importância para o aviso, mas logo o novo zelador se tornaria grande atração no campus.

Algumas meninas começaram a murmurar sobre quem seria aquele homem que estava andando pelo campus, porte atlético em um corpo bem definido, aparentava ter uns trinta e cinco anos, moreno e um corte de cabelo moderno, vestia-se muito bem e parecia estar conhecendo o lugar. As meninas começaram e olhar aquele homem pensando que seria um novo professor, e Carolina amiga de Aline resolveu ir perguntar ao homem:

- Ola professor, bom dia, o senhor leciona o que?

- Bom dia minha educada menina, não sou professor, sou o novo zelador e me chamo Carlos – respondeu gentilmente, e acrescentou – aproveitando sua gentileza poderia me indicar onde fica o antigo ginásio de vôlei?

- Claro, fica descendo toda a rua lateral no final à direita, basta ir reto, é o ultimo prédio, mas lá esta abandonado, ninguém vai lá. – indicou com ar de curiosidade.

- Por isso que fui contratado, logo vocês passaram a ir lá novamente - comentou Carlos sorrindo – com sua licença, preciso ir para justificar meu salário (risos).

Era cada vez maior o numero de meninas queriam conversar com o novo zelador, ele se mostrou um homem educadíssimo e admirável, Carolina era a mais empolgada, mas o zelador mostrava interesse especial por Aline, e sempre tentava começar uma conversa, mas logo ela se afastava, por algum motivo Aline não gostava da presença daquele homem que todos começavam a admirar. Thiago também estava incomodado com o novo zelador, mas seus amigos não paravam de zombar dele, diziam que o zelador ela melhor contador de estória de terror, que sabia diversas estórias que se passaram em colégios, e Thiago estava incomodado que cada vez mais alunos deixavam de ouvi-lo para ouvir ao senhor Carlos, e que ele estava apoiando Aline que não gostava do novo zelador porque queria agradar a amada.

Após três meses da contratação do senhor Carlos, o antigo prédio do ginásio de vôlei estava quase todo reformado, as paredes pintadas de vermelho e a arquibancada de azul, cores oficiais do time do colégio, agora faltava apenas terminar o piso,  dois alunos entraram correndo pelo ginásio aos berros dizendo que a diretora estava chamando o zelador urgente, prontamente ele correu para a sala da diretora, chegando a porta da sala observou que havia cinco pessoas, a diretora, um casal e dois homens de ternos.

- Mandou me chamar diretora – disse Sr. Carlos ofegante.

-Sim senhor Carlos, estes são os pais de Camila, nossa aluna do primeiro ano do ensino médio e estes são o delegado Sr. Pablo e o investigador Matias – apresentou a diretora enquanto servia água ao zelador e continuou – Camila não passou o final de semana em casa, e ninguém a viu no campus, hoje ela não compareceu a nenhuma de suas aulas. Mostre aos policiais tudo que eles quiserem ver.

O Zelador saiu apressado da sala indicando aos policiais o caminho para eles o seguir, e caminharam por todos os locais do campus sendo que o ginásio sendo reformado foi o que mais o chamou a atenção: - Sr. Carlos porque o centro do ginásio ainda não foi cimentado? – perguntou Matias.

- Que?  - Assustou-se o zelado – é que os pisos demoraram a chegar, então fiz o que pude primeiro – completou sem inspirar muita confiança.

Os dias se passaram e Camila não apareceu e ninguém sabia seu paradeiro, como toda a investigação ocorria em sigilo absoluto todos os alunos tentavam coletar informações com o zelado, que ganhou a confiança da diretora, pois não comentava uma única palavra e se dedicou com mais afinco em seus trabalhos. Com o ginásio de vôlei pronto Sr. Carlos pode se dedicar a reforma do local onde ficava a velha piscina, ali seria uma nova praça de leitura, a piscina havia sido aterrada, com exceção de um fundo buraco que seria plantada uma arvore, o Sr. Carlos plantou grama em todo o local, já havia colocado conformáveis bancos e algumas mesas, faltando apenas a arvore, que já estava no local para ser plantada. Na sexta feira à noite os alunos que permaneceram no alojamento escutaram barulhos no terreno do Colégio, e chamaram o chefe da segurança, Marcos. Marcos era um homem de 1.90 mts de altura, negro e ex lutador de MMA, mas uma pessoa muito carinhosa com todos, prontamente pegou sua lanterna e foi ver o que estava acontecendo, Thiago e mais 3 alunos o seguiram, muito a contragosto do segurança:

- O que o senhor esta fazendo há esta hora senhor Carlos, acordou a todos no dormitório – berrou o segurança para o zelador.

- Desculpe senhor segurança – disse em tom de ironia – é que este é o melhor horário para se plantar a arvore para que ela não sofra com o calor do sol.

- Esta bem, termine isso logo e segunda-feira eu converso com a diretora sobre isso – informou o segurança e virou-se para os alunos que o seguiam – Vocês, já pra cama!

Na segunda feira pela manha o segurança estava decidido a dizer para a diretora que ele queria ser avisado sobre os trabalhos noturnos que aconteceriam na escola, mas ao chegar à sala da diretora viu o Sr. Carlos saindo com os policiais da sala da diretora e um casal permanecerem lá. – Aconteceu algo que eu possa ajudar senhora diretora? – perguntou o segurança.

Pedindo licença aos pais de outra aluna ela disse ao segurança: – Venha comigo agora.

Chegando a uma sala reservada ela continuou: - O senhor Carlos me disse que o senhor e um grupo de alunos estavam andando pelos dormitórios a noite, quero saber o por que. Não me interrompa – disse a diretora alterando a voz e demonstrando sua fúria - que tipo de atividades o senhor esta fazendo a noite? Quem eram estes alunos? E vocês estiveram no dormitório feminino?

- Como assim diretora – disse o segurança sem entender o que estava acontecendo – Fui verificar o barulho que estava nos terrenos e os meninos me seguiram. E porque o senhor Carlos estava trabalhando a noite? Ninguém me comunicou – quis saber o segurança.

- O senhor Carlos veio a mim hoje pela manhã e me comunicou que decidiu plantar a arvore a noite por causa do sol – disse ela acalmando-se – quero lhe dizer que outra de nossas alunas esta desaparecida, quero que o senhor me de o nome dos meninos que estavam com você e que o senhor assuma o turno do dia, o senhor Carlos fará a segurança a noite.

- Como assim diretora? Eu sou o chefe da segurança, eu devo proteger os alunos e não gosto desse senhor Carlos – disse indignado

- Minhas ordens foram claras, você tem meia hora para me trazer aqui estes alunos e os policiais vão dar uma palavrinha com você também – disse ela

- Agora sou suspeito? – disse o segurança saindo da sala.

O Segurança senhor Marcos era muito amigo de todos os alunos, contou ao grupo o ocorrido, sobre o sumiço de mais uma aluna e que não confiava no zelador, que mentira sobre o porquê eles estavam no terreno à noite para a diretora. Thiago escutou tudo com muita atenção e após o encontro com a diretora e os policiais ele foi procurar Marcos, o segurança.

- Senhor Marcos, queria conversar um momento com o senhor, tem alguns minutos? É muito importante – disse o garoto.

- Claro, venha a minha sala parece que esta conversa será muito seria. – interessou-se o segurança.

Chegando a sala o garoto prosseguiu: - tenho suspeita de que o senhor Carlos esta envolvido no sumiço das meninas – disse Thiago indo direto ao ponto – não gosto dele, nunca gostei, e ele conta muitas estórias de sumiço de meninas em escolas, tenho quase certeza que ele esta envolvido.

- Tenha calma Thiago, também não gosto dele, mas precisamos de provas e a diretora confia nele – disse o segurança

Os dois conversaram por um longo período, e decidiram que ficariam de olho no zelador, o segurança no período do dia em que Thiago esta estudando e o garoto no período da noite, pois sem o segurança nos dormitórios alguém teria que orientá-lo, Marcos marcou o numero do celular dele na discagem rápida do celular de Thiago e se despediram. A Semana passou sem que nada de anormal acontecesse, na sexta-feira Aline foi procurar Thiago para dizer que seus pais viajariam no fim de semana e que ela ficará no campus, queria saber se haveria alguma coisa para fazer, Thiago passou o dia tão feliz com a noticia que se esqueceu dos seus afazeres noturnos no campus, a tarde se aproximou lentamente e como de costume muitos alunos estavam indo para suas casas, por volta das 17hs o campus já estava quase vazio, restando apenas cerca de vinte alunos que passariam o fim de semana. Thiago encontrou Aline e ficaram conversando, por volta das 18hs e 30 min. Aline disse que iria tomar banho e o encontraria no refeitório para jantar, e que queria uma mesa só para os dois porque ela queria dizer algo que ele iria adorar, Thiago ficou eufórico com a esperança de que ela aceita-se namorá-lo, e foi se aprontar para o jantar.

No refeitório havia poucas pessoas presente, os alunos que ficaram e um dos seguranças, Thiago estava tão eufórico que não percebeu a ausência do zelador no jantar, mas a preocupação começou afligi-lo quando o relógio marcou 19hs e Aline não apareceu, perguntou para uma das meninas: - Você viu a Aline por ai?

- Não, acho que ela foi para casa passar o fim de semana com os pais – respondeu a menina.

Thiago sabia que não era verdade, que Aline ficaria no campus este final de semana, decidiu ir procurá-la, olhou primeiro no dormitório feminino e não a encontrou, durante duas horas ele vagou pelo campus sem sucesso, ao longe avistou o zelados trabalhando em uma vala devagar foi se aproximando e escondido o viu cavar alegremente um fundo buraco na vala, de repente lhe ocorreu a ideia de olhar na casa do zelador que era a mais afastada no terreno do colégio, ao se aproximar encontrou caída a blusa que Aline tinha amarrado na cintura, o pânico começou a tomar conta do seu coração, ele chegou a casa e olhou pela única janela existente, viu no chão o corpo inerte de Aline, a porta estava trancada, usando toda sua força ele chutou, chutou e chutou de novo, a porta não abriu ele tomou distancia e correu jogou todo seu peso sobre a porta e sentindo todo seu corpo dolorido cair ao chão dentro da casa e ao lado do corpo de Aline, se recuperando do impacto arrastou-se para o lado dela, ela estava respirando, mas desacordada, parecia dopada ele tentou acordá-la sem sucesso, sabia que o zelador logo estaria de volta então pegando sua amada nos braços e a carregou para fora da casa, foi se afastando quando de repente uma dor insuportável em suas pernas o fez cair, ele se virou e viu o zelador com um pedaço de pau partido nas mãos.

- O que você esta pensando garoto – disse o zelador – esta é mais uma das garotas que me ignoram, sempre foi assim, eu brincava, contava piada e estórias, mas essas metidas se achavam superior a mim e se afastavam, como se eu fosse um porco, ela vai ser enterrada vida como as outras, o buraco dela já esta pronto.

- Eu não vou permitir que você machuque a Aline – disse Thiago ficando de pé com a perna quebrada – terá que me matar entes de machucá-la.

- Ora, ora um rapaz apaixonado, acha que será difícil? – disse o zelador chutando a perna quebrada de Thiago e jogando-o ao chão – será um prazer.

Thiago reuniu forças e ficou de pé, viu um sorriso maldoso no rosto do zelador, Aline caída desacordada atrás de Thiago fez um barulho e o garoto se virou pra olhar, uma forte dor na cabeça ofuscou sua vista e ele caiu semi-desacordado, em sua distração o zelador o acertou na cabeça com o pau, pouco antes de perder completamente a consciência Thiago pegou o celular do bolso apertou a discagem rápida e do outro lado da linha Marcos o segurança atendeu rapidamente e ouviu a voz de Thiago fraca: - Socorro, zelador culpado Aline na Vala academia, socorro. E silencio, Thiago perdera a consciência completamente, o segurança saiu correndo para ajudar, e ligando para o delegado Pablo foi atender ao pedido de socorro dos alunos amigos.

A dor sumiu, mas mesmo assim ele gritou: - ALINEEEEEEEE...

- Fique Calmo filho, calma. Ela esta bem – disse a mãe de Thiago abraçando-o.

Ele estava na maca da ala hospitalar, olhou para todos os lados para se localizar viu seu pai vindo em sua direção, sentiu pela primeira vez o gesso envolvendo toda sua perna quebrada e uma pequena dor na cabeça, colocou a mão e sentiu que não havia mais cabelo e sim uma faixa toda enrolada.

- Dezoito pontos e pedi que te deixassem totalmente careca, tinha muitas menininhas aqui na porta então resolvi te deixar um pouco feio – disse o pai agora abraçando o filho – meu grande herói, mas chame a policia ao invés de querer lidar com um bandido perigoso.

Entrou na enfermaria Marcos o segurança: - Pegamos ele Thiago, você foi um herói, salvou a Aline e limpou meu nome,  ele era procurado em outro estado, a maioria das historias que ele contava eram reais e ele era o assassino das meninas e estava aqui usando documentos falsos.

- Ele esta preso? – perguntou Thiago

- Ele esta morto, quando o delegado Pablo e eu chegamos ele tinha colocado a Aline no buraco, mas estava armado, atirou no delegado e o investigador Matias acertou ele – resumiu o segurança -  mas mudando de assunto, você virou a tração de escola, não poderá participar dos campeonatos de natação este ano, mas tem alguém que quer te ver  -  e afastou-se para Aline entrar.

- Thiago, você salvou minha vida, e nem vai participar do campeonato que você tanto queria, justo no seu ultimo ano no colégio, me perdoe – disse ela se aproximando de Thiago.

- Pior foi perder nosso jantar - disse ele sorrindo.

Ela se aproximou do garoto e abraçando-o deu-lhe um beijo na boca: - A resposta sua é sim, eu quero namorar você Thiago – disse ela após o beijo.


Criado Por Adriano Dymattos

Nenhum comentário: